quarta-feira, 27 de abril de 2011

MEMÓRIA DAS COISAS

                                            

PEDRA, CASCALHO, ESCOMBRO, ESTILHAÇO.
CACO, MIGALHA, RESÍDUO, PEDAÇO.
FRAGMENTO,  POEIRA, FARELO, TRAPO.
TUDO SE REDUZ.
CINZA, PALHA, CISCO, CONCRETO.
EU, VOCÊ, LONGE E PERTO.
NADA NÃO EXISTE.
TUDO É RESTO.

5 comentários:

  1. "Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."
    Lavoisier...!

    ResponderExcluir
  2. e neste constante movimentar, lapidamo-nos
    antes pedra, agora pedro, depois pó!

    "e tudo acaba onde começou", já dizia Raul.. rs

    ResponderExcluir
  3. Ana,

    mas não é de caco em caco que se compõe um mosaico? rsrs

    Realmente, o resto nos alimenta: a memória é uma água indelével para uma sede imperecível.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Estilo Arnaldo Antunes, muito bom!

    ResponderExcluir