sábado, 15 de setembro de 2012

Sinal de trânsito





Na volta para casa, ao anoitecer,
a lua, a quarenta por hora na placa de velocidade permitida.
Nem diminuí quando ela me viu.
Escondeu-se no amarelo gema da faixa contínua.
Me deu passagem para a contramão.
Peço não perguntarem para onde eu ia.
Talvez, nem mesmo a lua soubesse.

3 comentários:

  1. pra onde ia não se sabe, sabe-se q ela trouxe de volta a atividade de poeta !
    abraço

    ResponderExcluir