sábado, 23 de junho de 2012

Bordões e bordéis

O desamparo
o desespero
o desengano
o desencanto
o desalento

O desafio

O desabafo
o desapego

O desvario
o  desatino

A destreza






2 comentários:

  1. O poema me remeteu a outro poema. Tentado, não resisto em postar. É do poeta Jovino Machado:

    "deus dança com o diabo

    deus deseja o diabo
    deus devora o diabo
    deus deflora o diabo
    deus degusta o diabo
    deus deprava o diabo
    deus desabrocha o diabo

    deus desfila com o diabo

    deus delata o diabo
    deus desarma o diabo
    deus derruba o diabo
    deus derrota o diabo
    deus degrada o diabo
    deus desgasta o diabo

    deus é o dono do diabo

    deus defuma o diabo
    deus degola o diabo
    deus desbota o diabo
    deus deforma o diabo
    deus desenha o diabo
    deus desmiola o diabo

    deus é a dama do diabo

    deus debulha o diabo
    deus desbanca o diabo
    deus desgrenha o diabo
    deus desmancha o diabo
    deus desarranja o diabo
    deus desencanta o diabo

    deus é o diabo do diabo

    deus desafia o diabo
    deus desafina o diabo
    deus desatina o diabo
    deus desabona o diabo
    deus desespera o diabo
    deus desmascara o diabo

    deus dorme com o diabo

    deus desfia o diabo
    deus destila o diabo
    deus desafoga o diabo
    deus desdobra o diabo
    deus desagrada o diabo
    deus deslumbra o diabo

    deus delira com o diabo."

    ResponderExcluir